Menu

Título

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

“Não tinha teto, não tinha nada”, diz professora sobre barracão substituído por Escola Digna

22 SET 2017
22 de Setembro de 2017

“Era uma escola muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada”. A brincadeira da professora Narcisa da Silva Corrêa hoje tem um significado especial para os moradores do povoado de Bacuri. Localizada a 7 quilômetros da sede de Peritoró, a cidade recebeu uma Escola Digna do Governo do Estado recentemente. As paredes de taipa, a poeira e o desconforto dos alunos tornaram-se história do passado.

“As paredes eram só aqui na metade, o telhado era de palha e quando passava algum carro, enchia tudo de poeira”, conta a professora de 60 anos – mais da metade deles, 35, dedicados à profissão. “A gente dava aula aqui porque não tinha jeito, fazia por se preocupar com as crianças e os pais, fazia por amor mesmo”, lembra.

Inaugurada em junho deste ano, a Unidade de Ensino Fundamental Juarez Nunes atende 88 estudantes, da Educação Infantil ao 5º ano nas turmas normais, além da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

No antigo barracão de taipa, uma média de 15 estudantes ficava em uma turma multisseriada – ou seja, várias séries na mesma sala ao mesmo tempo. Isso obrigava alguns dos pequenos moradores a ir estudar em outros povoados e dificultava o aprendizado de quem ficava por lá.

Para os adultos, a situação também era complicada. Agora, com o EJA, a escola tem tentado reverter os índices de 80% de analfabetismo observado entre os pais dos estudantes da unidade escolar.

“Já teve a situação de eu receber, sozinha, 12 crianças que eu precisava pegar na mão para que conseguissem escrever. Hoje eles estão aqui e escrevem até no quadro”, conta Narcisa da Silva Corrêa.

Fim do banheiro de palha

Com a nova estrutura construída pelo Governo do Maranhão, há salas revestidas, limpas e mobiliadas com carteiras, armários e ventiladores. Professores e estudantes têm espaço de convivência no pátio. Há também uma cantina para preparo do lanche. Os banheiros representaram uma inovação na comunidade.

“É ótimo. Foi uma escola que encheu a gente de esperança e agora aqui é uma maravilha”, reforça a professora.

Aluna do 5º ano, Juliana Rodrigues Sampaio frequenta a escola que agora é quase ao lado da sua casa. Além dela, irmãos e primos também frequentam a unidade que atende a todo o povoado, onde residem 62 famílias.

“Nessa [escola] aqui agora tem ventilador, a gente brinca por aqui tudo e o banheiro não é mais de palha”, diz.

Com o programa Escola Digna, outras duas escolas em Peritoró, nos povoados de Santa Maria e Peritoró dos Pretos, já foram construídas pelo Governo do Maranhão. Uma quarta escola, no povoado de Mendonça, também já foi iniciada e em breve será entregue.

Em todo o estado, além de construir 300 novos prédios de alvenaria para substituir as antigas escolas de taipa, o programa Escola Digna já reformou ou reconstruiu mais de 620 unidades escolares e tem levado formação para professores, para elevar os índices educacionais e do desenvolvimento de todas as regiões do Maranhão.

Voltar

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.




Clique aqui para editar.

Clique aqui para editar.

Tenha também o seu site. É grátis!